Mais
Como remover cravos do nariz usando água, sal e limão. Leia mais

8 dicas para a sua horta dar certo de primeira

CASA
  VOGUE

Baseados nos principais erros de quem começa uma horta em casa, listamos os cuidados que você não pode deixar de ter

                                                 8 dicas para a sua horta dar certo de primeira (Foto: Reprodução)
POR GIOVANNA MARADEI 



Não importa se seu lar é um pequeno apartamento ou uma ampla casa com terraço, ter uma horta particular é sempre possível - embora não seja tão fácil quanto pareça no Pinterest. Nem todo mundo fala, mas para que suas mudinhas cresçam saudáveis é preciso um pouco mais do que uma jardineira, um punhado de terra e um pouco de água.

LEIA MAIS: Como montar uma horta em casa

Conversamos com Sabrina Jeha, do Sabor de Fazenda, e com a ajuda dela - e o repertório de erros e acertos cometidos pela equipe da redação da Casa Vogue, listamos 8 dicas básicas para que você não faça como a gente e acerte de primeira na horta da sua casa.

VEJA AINDA: 6 ideias de como ter plantas no quarto
1. Escolha um lugar bastante ensolarado
                                        8 dicas para a sua horta dar certo de primeira (Foto: Reprodução)
Uma horta precisa de no mínimo quatro horas de sol por dia para se manter saudável . Se a sua cozinha não tem essa incidência de luz, por mais charmoso e prático que pareça ter os temperos ao lado do fogão, você terá que achar um novo local para seus vasinhos.

VEJA TAMBÉM: Jardim vertical: Entenda como ele funciona
2. Dê espaço para que elas cresçam
                              8 dicas para a sua horta dar certo de primeira (Foto: Reprodução)
Muitas vezes as mudas de ervas são vendidas em charmosos vasinho, mas isso não quer dizer que é ali que elas devem ficar para o resto de suas vidas. Para que cresçam saudáveis as ervas precisam de um vaso com no mínimo 15 cm de profundidade.

E AINDA: 10 jeitos de ter plantas no banheiro
3. Fique atento à drenagem
8 dicas para a sua horta dar certo de primeira (Foto: Reprodução)
Para que a água não fique acumulada e a sua muda termine afogada, é preciso preparar o terreno. O vaso  (ou recipiente que for usado) deve, necessariamente, ter um furo em baixo para que a água escorra - se for uma lata, por exemplo, basta fazer um furinho com um prego. Além disso, a primeira camada precisa ser preenchida com pedras e areia. Só depois vem a terra e a planta.

E MAIS: Aprenda floriografia, a linguagem das flores e seus significados
4.Veja quais ervas combinam entre si
8 dicas para a sua horta dar certo de primeira (Foto: Reprodução)
Nem todas as ervas vão compartilhar uma mesma jardineira de forma pacifica. Além de checar se elas demandam os mesmos cuidados quanto a iluminação, terra e rega, vale pesquisar um pouco sobre o comportamento da planta. A hortelã, por exemplo, é super espaçosa e por isso o mais recomendado é plantá-la em um vaso separado "se não ela vai sempre morrer ou matar alguma outra mudinha" comenta Sabrina

VEJA TAMBÉM: 10 perfis no Instagram que todo aficionado por plantas precisa conhecer
5. Cuidado com a quantidade de água
8 dicas para a sua horta dar certo de primeira (Foto: Reprodução)
É  mais comum que os marinheiros de primeira viagem matem suas hortas afogadas do que secas. As regras para regar uma planta mudam completamente de acordo com o ambiente que ela está. Tipo de vaso, temperatura, presença de vento, tudo isso influência. Por isso, o ideal é colocar a mão na terra e sentir se ela está úmida ou não. Se a superfície está seca, mas a terra está molhada mais em baixo, não é preciso regar.

LEIA MAIS: Descubra cinco plantas pendentes fáceis de cuidar
6. Não esqueça de adubar
8 dicas para a sua horta dar certo de primeira (Foto: Reprodução)
Além do adubo colocado na hora de plantar a muda no vaso ou na jardineira, é preciso continuar adubando a horta uma vez a cada 2 meses - pelo menos. Só assim a terra permanece fértil para que as mudas cresçam saudáveis.
7. Pode sem medo

 
8 dicas para a sua horta dar certo de primeira (Foto: Reprodução)

Não é incomum que as pessoas se apeguem as suas plantas e acabem tendo medo de podar as folhas secas ou os galhos doentes, o que no fim pode acabar prejudicando a sua plantação. O manjericão por exemplo, precisa ser bastante podado e até suas flores devem ser retiradas, caso contrário sua haste fica muito longa e fraca.
8. Colha com cuidado
8 dicas para a sua horta dar certo de primeira (Foto: Reprodução)
Arrancar com a mão apenas as folinhas que você vai usar para a próxima receita pode parecer prático, mas não é nada recomendável. Na hora de colher os itens de sua horta, o ideal é cortar um ramo, incluindo os cabinhos, com uma boa tesoura. Assim você evita abalar a estrutura da planta e deixa as condições favoráveis para que nasçam novos brotos.


| Nenhum comentário:

Se vivermos mais um bilhão de anos, muita coisa maluca vai acontecer

    GIZMODO
            BRASIL                      

   futurologia-terra


Vamos simplesmente jogar esta aqui na categoria de ficção científica. O que aconteceria se vivêssemos por mais um bilhão de anos? Algumas coisas bem legais, com uma dose saudável de desastres horríveis.
É bom salientar que esse vídeo feito pelo RealLifeLore é apenas especulação baseada em evidências, mas é uma fascinante especulação baseada em evidências. Por exemplo, se chegarmos ao ano 10.000 DC, teremos que lidar com o bug do decamilênio. Será exatamente como o bug do milênio, mas com um dígito a mais.
Em 20.000 DC, apenas 1% do idioma moderno ainda seria usado. Pulando mais um milhão de anos, uma erupção vulcânica de nível beirando a extinção é esperada na Terra, então, com sorte, teremos conquistado o objetivo de terraformar Marte, o que, estima-se, será possível em 100.000 DC. Se estivermos viajando pelas estrelas, colonizando outros planetas, em 2.000.000 DC podemos estar evoluindo para uma espécie completamente diferente.
Mas tudo isso ainda é o nosso futuro próximo. Vamos pular para o ano de 250 milhões DC, quando todos os continentes da Terra estarão fundidos e, então, vão se separar novamente uns 200 milhões de anos depois. Quando alcançarmos a marca de 600 milhões de anos, a Terra será majoritariamente inabitável, por causa de inúmeros eventos prováveis, inclusive a morte de 99% das plantas. E, após um bilhão de anos, a temperatura da superfície da Terra provavelmente estará em torno de 47,2ºC e sua água terá evaporado.


| Nenhum comentário:

Como se comportar em uma entrevista de emprego

VEJA


                                        Entrevista de emprego
O número de desempregados no Brasil atingiu a marca de 14,2 milhões no primeiro trimestre, um novo recorde, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). O indicador, que piorou desde a última medição, é um fator que pode desanimar os candidatos que buscam uma colocação profissional.
A hora da entrevista de emprego é um bicho-papão para muitos candidatos. Sem roteiro definido, os candidatos podem seguir algumas dicas para se preparar melhor.
Segundo o gerente da Page Personal, Lucas Oggiam, há algumas frases que devem ser evitadas e que variam de acordo com a vaga almejada. “Ninguém quer ouvir de um gestor que ele não gosta de liderar as pessoas”.
Entretanto, o modo como o candidato se comporta e a atitude são as duas características que mais pesam. Segundo o profissional, um dos piores erros durante o processo de seleção é não ter nada a dizer ao ser questionado sobre os defeitos. “É pior do que falar alguma frase meio tonta, todo mundo tem algo a melhorar”.
Outro deslize comum acontece quando os candidatos são questionados do porquê desejam deixar a empresa atual. “Dizer ‘Já aprendi tudo o que eu podia aprender aqui’ demonstra uma imaturidade grave, prova que a pessoa não tem percepção de que ela sempre pode aprender algo”, explicou Oggiam.
Do outro lado, há comportamentos que podem ajudar o candidato. “É importante quebrar o gelo, usar bem os primeiros cinco minutos de conversa com o entrevistador. Uma piada de bom gosto, elogiar o escritório, essas coisas ajudam muito”.
Demonstrar interesse pela empresa também destaca a pessoa. “Falar que leu reportagens sobre a companhia faz o entrevistador pensar sobre o interesse do candidato. Algumas pessoas vão um pouco além e falam do mérito do entrevistador, como ‘Vi seu histórico no LinkedIn’, isso é uma faca de dois cumes, tem gente que gosta e outros que vão se sentir stalkeados”.
“Todo mundo quer se vencer em um processo e demonstrar que tem competência. Ser sincero sobre o que você precisa aprender, falar de forma sensata de suas limitações é importante e demonstra uma maturidade que a maioria das pessoas no mercado de trabalho brasileiro não tem”.
O profissional cita o caso de um dos seus clientes, que teria passado a noite a entrevista lendo balanços e notícias do último ano da empresa. “Por 30 minutos, ele e o entrevistador só conversaram sobre isso. O processo era longo, mas em 24 horas, entrarem em contato com o candidato para contratá-lo. Não era a pessoa com a melhor formação, que todo mundo acha que tem que ter, mas o brilho nos olhos que ele demonstrou foi determinante”.
Ainda segundo Oggiam, cerca de 25% das entrevistas agendadas não acontecem e os candidatos não justificam a falta. “Uma pessoa pontual é bem vista, nenhum gestor gosta de contratar candidato que chega atrasado”.
O candidato tem que manter em mente que está sendo avaliado em todo o momento. “Muita gente não sabe fazer entrevista, mesmo porque não fazemos tantos entrevistas assim. Ganha pontos quem faz uma pesquisa elaborada da empresa, quem faz perguntas pertinentes. No momento de explicar as atividades profissionais, os candidatos tem que evitar falar rapidamente, há uma história em cada lugar que a pessoa trabalhou, é bom explicar o desafio da vaga, o que você fez e o resultado daquela ação”.
“Não existe roteiro, por isso as perguntas do contato inicial da empresa são essenciais. Siga o seu currículo, deve ser um script do que você gostaria de falar em uma entrevista”, completou o profission
| Nenhum comentário:

Anvisa dá primeiro passo para regulamentar cannabis como planta medicinal

                                     (Foto: Pixabay)
A Agência Nacional de Vigilância Sanitária incluiu a Cannabis Sativa L. na sua lista de Denominação Comum Brasileira. A ação oficializa a cannabis, dando-lhe um número de identidade para referência posterior entre médicos e órgãos reguladores.
A medida foi oficializada com a publicação da Resolução nº 156, no dia 5 de maio de 2017. Agora, a maconha é uma substância reconhecida dentro do país, o que permite às agências reguladoras nacionais se referirem à planta em suas diretrizes.
"É um primeiro passo muito importante. A partir de agora, podemos esperar uma regulamentação da planta para fins medicinais", explica Paulo Mattos, doutorando em Biologia Molecular pela UNIFESP e membro do Grupo Maconhabras do Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas (CEBRID) e da Associação Cultural Canabica de São Paulo (ACUCA).
A inclusão, porém, não altera as normas regentes atuais. "O cultivo e uso não autorizado da substância ainda é criminalizado", explica ele. A Anvisa permite a prescrição de medicamentos derivados do canabidiol e tetrahidrocanabinol perante uma autorização especial dada por ela. Um dos exemplos mais conhecidos é o Mevatyl, responsável por diminuir a rigidez excessiva em pacientes que sofrem de esclerose múltipla.
Segundo Mattos, existem três famílias com autorização para cultivar a erva com fins medicinais, mas nenhuma produtora nacional. Com uma regulamentação oficial futura, a possibilidade para o cultivo em grande escala estará aberta.
| Nenhum comentário:

Como a NASA pretende chegar a Marte na década de 2030

     GALILEU                        

                                         NASA detectou metal na atmosfera de Marte (Foto: NASA)

ANASA divulgou seu plano de levar humanos para o planeta vermelho no evento Humans to Mars 2017, realizado em Washington, nos Estado Unidos. Segundo eles, a previsão é chegar à superfície de Marte na década de 2030.
No momento, estamos na fase zero de um projeto que possui quatro etapas no total. Agora, o foco é testar as tecnologias disponíveis na Estação Espacial Internacional, que orbita a 400 quilômetros do planeta Terra. A ideia é que isso dure até o ano de 2022, quando se dará início propriamente ao plano.
Na fase 1, quatro voos do megafoguete SLS levarão cápsulas Orion contendo quatro astronautas cada para as imediações da Lua. Lá, será construída uma nova estação, chamada pelos pesquisadores de Deep Space Gateway, que terá a função de um porto espacial. A NASA prevê que a instalação esteja pronta no ano de 2026, quando começará a fase 2.
A partir daí, o Gateway terá como principal função servir de base para Deep Space Transport, o veículo que terá como objetivo levar seres humanos para o planeta vermelho. Uma missão tripulada de um ano será inciada na órbita lunar em 2028, quando todos os sistemas da nave serão testados. Além disso, o porto espacial ajudará na exploração da Lua, controlando robôs ou inciando missões humanas no solo lunar.
Se tudo der certo, no ano de estreia do Transport, a fase 3 se inciará com a primeira viagem a Marte. Marcada para começar em 2033, o bate e volta até o planeta durará cerca de mil dias, aproximadamente três anos. 
Após o sucesso da terceira etapa, finalmente estaremos prontos para pousar na superfície marciana. Esta é a parte menos desenvolvida pela NASA até o momento. Sabe-se apenas que envolverá o Transport e um módulo de pouso e ascenção no planeta. Para isso, porém, a agência espacial espera conseguir parceiros e patrocinadores.
| Nenhum comentário:
Copyright © 2014.